Acadêmicos de todo o país apresentaram trabalhos científicos durante o Zootecnia Brasil, que chega ao seu último dia de congresso nesta quinta feira (30), em Goiânia. Ao todo, foram 1.860 trabalhos apresentados e publicados no congresso.

Um dos trabalhos apresentados foi o da Lourene Freire Gimente, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus Jaboticabal. Ela apresentou os resultados da sua pesquisa sobre mensuração do índice de tolerância ao calor e temperatura de pelame em animais da raça Nelore submetidos ao estresse térmico.

(Foto: Caio Budel/ABZ)

Outro trabalho apresentado foi o da acadêmica Luciana dos Santos, da Faculdade Católica do Tocantins, em Palmas. O trabalho apresentado por ela foi uma avaliação dos parâmetros fisiológicos em cordeiros recém-nascidos, em dois períodos de exposição solar.

“O meu estudo avaliou os parâmetros fisiológicos de frequência respiratória, temperatura retal, temperatura de pelame e o ganho de peso em cordeiros mestiços Santa Inês, sob sombreamento em dois períodos vespertinos, às 14h e às 17h”, explicou Luciana.

(Foto: Caio Budel/ABZ)

De acordo com a coordenadora científica do Zootecnia Brasil, Heloísa Mello, o número expressivo de trabalhos é reflexo, também, do número alto de inscrições para o congresso. Foram mais de três mil participantes.

“Em um evento com tantos inscritos, não poderia ser diferente quanto ao número de trabalhos apresentados e publicados. Sem dúvidas, foi um resultado importante para a Zootecnia brasileira, que recebeu grandes contribuições, nas mais diversas áreas”.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Associação Brasileira de Zootecnistas
ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?