Um novo tipo de bovino desenvolvido através de cruzamento industrial acaba de ser introduzido a pecuária brasileira. Apelidado como bovino tropical, o animal é resultado da cruza entre touros da raça brasileira Curraleiro Pé-Duro (Bos taurus taurus) e vacas Nelore (Bos indicus indicus), de origem indiana.

De acordo com informações da Embrapa, que foi responsável pela criação do novo animal junto com a Universidade Federal do Piauí (UFPI), esse cruzamento foi o primeiro entre essas duas raças feito com metodologia científica. A pesquisa para o aperfeiçoamento da cruza demorou seis anos.

O novo bovino é mais precoce que o nelore, vai mais cedo para o abate, com apenas dois anos de idade e pesando 45 quilos de carne a mais nas mesmas condições de pastagem. Se for terminado em regime de confinamento, o período é reduzido em até seis meses, aumentando ainda mais o peso. Além disso, as pesquisas indicaram que o novo mestiço produz 20 quilos de carne macia por 100 quilos de músculo na carcaça. Em comparação, o estudo revela que o nelore produz apenas 16 quilos.

“Ele consegue se desenvolver bem em menores piquetes, garantindo uma taxa de lotação na mesma pastagem até 20% maior na área delimitada. Esse aspecto é muito importante para o conforto do animal”, destaca o pesquisador Geraldo Magela Côrtes Carvalho, que coordena o trabalho.

Para comprovar o alto desempenho zootécnico do novo bovino, foram feitos testes de maciez, acidez, perda de peso por cozimento, retenção de água e coloração, que revelaram a excelente qualidade da carne. O centro de pesquisa ainda executou testes com a pele.

Segundo Carvalho, em praticamente todos os aspectos, o novo bovino apresentou um perfil diferenciado.

“Ele traz a rusticidade do curraleiro pé-duro, que é adaptado ao ambiente tropical de quase todas as regiões do Brasil (calor, escassez de água e pastagens nativas); sendo ainda resistente a parasitas como verminoses, carrapatos, bernes e mosca-do-chifre”.

1 Comentário
  1. Rafael Assunção Carvalho 4 anos atrás

    Belos animais, finalmente esse cruzamento está sendo feito de uma forma ordenada e com fundamentos baseados em pesquisas em busca de um animal ainda mais produtivo. Acompanhei alguns desses incríveis animais “Curraleiro – Pé Duro” no município de Santo Amaro Ma e pude ver essa raça se degenerando devido a cruzamentos com animais da raça Nelore. Agora com certeza ambas as partes terão o seu devido respeito, e inclusive preservar os incríveis “Curraleiros” com altos graus de pureza e que com toda certeza tem grande importância na construção de todo o Brasil.

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?