O presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Benedito Fortes de Arruda, voltou a se manifestar sobre o projeto de lei 1016/2015. Arruda já tinha falado a respeito do projeto em entrevista ao Canal Rural no dia 22 de outubro, quando declarou também que, no mundo todo, a zootecnia não é considera uma profissão (entenda o caso aqui).

(Foto: reprodução/CFMV/YouTube)

Desta vez, o presidente declarou que houveram supostas incoerências na apresentação do projeto de lei no dia da audiência pública que debateu o PL, realizada em outubro na Comissão de Agricultura, Pecuária e Abastecimento Rural (CADAPR). A declaração foi feita no quadro Palavra do Presidente, produzido pela comunicação do CFMV e publicado no YouTube.

“É interessante perceber que muitas vezes as pessoas, quando participam de uma audiência pública, muitas delas articulam palavras, que empolam o entendimento, tornando difícil para que as outras pessoas que não estão envolvidas no processo tenham o devido esclarecimento”.

Além disso, Arruda ainda declarou que é errado afirmar que o engenheiro agrônomo e o médico veterinário possuem dupla titulação.

“Quando você coloca uma situação, por exemplo, ao dizer que o veterinário e o agrônomo têm dois títulos, é uma demonstração inequívoca de uma pessoa que quer manipular. Todos podemos perceber nos nossos diplomas que tem lá, médico veterinário ou engenheiro agrônomo. Não diz lá que nós somos zootecnistas”.

REPERCUSSÃO
Com o novo posicionamento do presidente sobre o PL, vários zootecnistas voltaram a se manifestar contra as declarações de Arruda.

“Todo mundo está cansado de saber que a lei de 5.550 regulamenta a profissão de Zootecnista, a qual o senhor disse que não era profissão e que dá sim direito ao Agrônomo e Veterinário de assumir a profissão de Zootecnista, logo, titulação dupla”, disse um estudante de zootecnia em comentário na página do CFMV no Facebook.

Apesar da nova manifestação sobre o PL, Arruda não mencionou o caso recente onde diz que a zootecnia é considera uma área de conhecimento da medicina veterinária e da engenheira agronômica. A declaração gerou diversas manifestações de associações e entidades ligadas à zootecnia, como cartas de repúdio da Associação Brasileira de Zootecnias (ABZ), da Associação dos Zootecnistas do Distrito Federal e Entorno (AZOO-DF), da Associação Cearense de Zootecnistas (ACZ), do Sindicato Paulista de Zootecnistas, dos Representantes Estudantis da Zootecnia e outros.

Para assistir à gravação da audiência pública que debateu o PL no mês passado, clique aqui.

3 Comentários
  1. George Maia 4 anos atrás

    Se a Zootecnia não é uma profissão, como afirma esse cara, então o CFMZ está cobrando anuidades de não profissionais zootecnistas, ou seja, está fazendo cobrança indevida. Ministério Público nele !

  2. Antonio Leite de Caldas 4 anos atrás

    Não é possível que este VAQUEIRO DIPLOMADO continue a destratar uma profissão que possui historia e respeito junto aos Pecuaristas Brasileiros e, sobretudo, ancorada na lei 5.550/68, que ele mesmo, em seus momentos de insanidade mental e bruta ignorância humana, investido dos (poderes) que lhe são conferidos, reluta em desconhecer e desrespeitar, perante o Ministério Público, à própria Lei e aos mais de 30.000 (Trinta Mil) autoridades profissionais do País(Zootecnistas), sem contar com os danos causados sobre o desempenho da Pecuária Nacional, com consequentes prejuízos causados aos milhares de Agropecuaristas Nacionais, isto tudo à luz da grande mídia, sem que, ao meu ver, nada tenha sido providenciado com efetiva punição por parte, principalmente do Ministério Público, que deveria estar cuidando das agressões e irregularidades praticadas contra a lei, sem ter que ser invocado por quem quer que seja para isto. Prezados colegas, em consulta a juristas, me foi dito que nosso direito é muitíssimo bom , que cabe ações reparatória(Ressarcimento de todas as anuidades pagas), danos morais e Ação Penal, URGENTE. Precisamos portanto, ver este ébrio psicopata pagando seus males atrás das grades. AVANTE COMPANHEIROS!!!.

    Antonio Leite de Caldas
    Zoot. M.Sc. – CRZ nº 0001/PB.

  3. Dúlio Sepúlveda 4 anos atrás

    Ou criamos o nosso conselho ou façamos como em Portugal, sugerir que o Conselho Federal de Engenharia – CONFEA que criem a inscrição para Engenharia Zootécnica, pois já existe a Engenharia de Aquicultura. Sugiro que fundam as duas em uma só, ficando a Engenharia Zootécnica e de Aquicultura.
    Assim quem sabe, abandonamos de vez esse conselho absurdo e excludente aos Zootecnistas, que é o CFMV e seus regionais.

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?