Nesta terça feira (13), o início do Congresso Brasileiro de Zootecnia (Zootec) foi marcado pela realização da XXV Reunião Nacional de Ensino em Zootecnia. O encontro também teve tom comemorativo, já que a reunião completou 25 edições, seu Jubileu de Prata.

“A história da reunião revela uma grande contribuição, que norteou a formação em Zootecnia no tempo e no espaço, desde seu surgimento, tendo como maior exemplo o documento base chamado agora de Diretrizes Curriculares Nacionais”, relembra Marinaldo Divino Ribeiro, presidente da Associação Brasileira de Zootecnistas (ABZ).

Além de Marinaldo, a abertura da reunião contou com a participação do presidente da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), Arnaldo Machado; da presidente do Conselho Nacional de Ensino em Zootecnia (CNEZ), Ana Cláudia Ambiel; do representante do presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o zootecnista Wendell Lima; além de outros zootecnistas de diversas regiões do país.

Na abertura, a presidente Ana Cláudia Ambiel falou sobre os 25 anos reunião e seu reflexo nas atuais diretrizes de ensino em Zootecnia. Já o representante do CFMV, Wendell Lima, explanou sobre a importância de formação do zootecnista com a competência exigida nos tempos atuais, quando se deseja uma “Zootecnia de decisão e não de precisão”.

CONTRIBUIÇÃO

Em sua fala, Marinaldo relembrou que os desafios para o presente e o futuro da reunião perpassam pela necessidade de reflexões de grandes temas, como o estabelecimento de vínculo institucional e não individual entre as coordenações a ABZ/CNEZ e a Coordenação do Fórum de Coordenadores, além da conscientização de zootecnistas a se apresentarem nas escolas para assumirem as responsabilidades das coordenações em respeito a titularidade e ao estabelecimento de referência institucional para os cursos e alunos.

“Outros pontos também necessitam de aperfeiçoamento, como a conscientização dos cursos para a implementação de disciplinas de introdução à Zootecnia e deontologia com professores titulados em Zootecnia”.

Outras pautas que foram debatidas:

– As Diretrizes Curriculares Nacionais na perspectiva da formação contemporânea do profissional Zootecnista;

– A educação continuada para os profissionais Zootecnistas;

– Os diferentes níveis de formação e modalidades de formação em Zootecnia;

– Educação a distância em Zootecnia;

– Certificação de cursos e de especialidades;

– Adoção de práticas pedagógicas diferenciadas para atendimento das exigências de formação contemporânea.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?