CARTA DE REPÚDIO DA ABZ AO CFMV

A Associação Brasileira de Zootecnistas, entidade representativa dos 35.000 Zootecnistas e 17.500 estudantes de Zootecnia de todo o Brasil, vem a público manifestar sua indignação para com o Sr. Benedito Fortes de Arruda, Presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária. Em recente entrevista ao Canal Rural, o Sr. Arruda afirmou que “No mundo todo a Zootecnia não é considerada profissão. É uma área de conhecimento que tanto faz parte da Agronomia como da Veterinária” (Canal Rural, 22/10/2015).

Ao fazer esta declaração demonstra o mais absoluto desconhecimento da categoria profissional que há 48 anos faz parte do Sistema dos Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária, ou seja, desde a sua criação, e que há décadas ele preside. Esta clara demonstração de desprestígio aos Zootecnistas brasileiros ressalta o tipo de tratamento que os profissionais tem recebido dentro do sistema CFMV/CRMV e que por força de Lei ainda são obrigados a se inscrever. Não existe melhor recado para que os Zootecnistas venham a intensificar ações para a criação de seu próprio Conselho pois o mandatário de plantão, simplesmente, desconhece a existência dessa categoria enquanto profissão.

Os cursos de Zootecnia estão presentes em mais de 60 países. No Brasil, o primeiro curso data de 1966 e, atualmente, somam-se em 107 cursos espalhados por todo o território nacional. Graduam-se cerca de 2.000 novos Zootecnistas a cada ano em que realizam atividades universitárias por 10 semestres com uma carga horária de estudos, pesquisas, estágios e atendimentos à sociedade de 4.000 horas. Seus profissionais são reconhecidos pelo mercado de trabalho e estão prestando serviços à sociedade em todos os setores do agronegócio nacional, um de seus principais players mundiais. Ao se pronunciar de maneira deselegante e pretensamente difamatória, ao insinuar que a profissão de Zootecnista não deveria existir, presta um desserviço e atinge negativamente a imagem de profissionais, estudantes, instituções de ensino superior, associações profissionais e os sindicatos da classe no país. Além disso, cultiva, preconceituosamente, o separatismo e a intransigência entre as profissões co-irmãs das Ciências Agrárias, pelo menos entre a Zootecnia, a Veterinária e a Agronomia.

Com este comportamento inexplicável à altura do cargo que ocupa, o Sr. Arruda deixa clara a sua posição absolutamente ultrapassada para um dirigente de Conselho profissional em pleno século XXI e prefere camuflar a necessidade de convocar os legítimos debates sobre questões afeitas a estas profissões, a exemplo da discussão sobre o PL1016/2015 e da mudança de governança para a maior inserção do Zootecnista no âmbito do Sistema CFMV/CRMVs.

O PL1016/2015 não foi discutido com os Zootecnistas no âmbito do Conselho que os abriga, mesmo assim,de maneira autoritária seu Presidente, o Sr. Arruda, e outro representante do CFMV, foram à audiência pública na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) da Câmara dos Deputados e declararam-se contrários ao citado PL.

Posto isso, os Zootecnistas e os estudantes de Zootecnia brasileiros, através da sua Associação Brasileira de Zootecnistas, exigem retratação do Sr. Arruda nas mesmas mídias pelas quais a sua declaração circulou para a sociedade brasileira.

 

Célia Regina Orlandelli Carrer

Presidente da Associação Brasileira de Zootecnistas

Carta de Repúdio da ABZ ao CFMV

7 Comentários
  1. Fernando Rothier 2 anos atrás

    Parabens pela resposta transmitida pela colega . Todos nos Zootecnistas compactuamos com a mensagem direcionada a esse cidadão , se assim podemos nos referir .
    E ainda , uma resposta e/ ou mensagem que ainda nos nutri com mais força para uma vitoria e , o mais breve esta injustiça com a nossa profissão chegue ao fim .

  2. Luciana Moura Rufino 2 anos atrás

    Parabéns Dra. Célia Regina Orlandelli Carrer pela iniciativa. Jamais poderemos ficar calados e continuar aceitando imposições e ofensas vindas de uma entidade que ao mínimo deveria nos acolher. Afinal somos contribuintes do CRMV e estamos inseridos em cadeias do agronegócio, o qual está em ascensão e impulsiona a economia também com participações e colaborações de inúmeros zootecnistas. Vamos lutar pelos nossos direitos e defender nossa classe por respeito ético profissional, direitos de atuação e por um CFZ e CRZ. Mais uma vez parabéns a você e todos que contribuíram!

  3. ronan correa de castr 2 anos atrás

    se não nos reconhece como profissionais então nos libere, e deixe nós provarmos a nossa competência não precisamos dele.

  4. mario sergio malheiros 2 anos atrás

    …Já que “No mundo todo a Zootecnia não é considerada profissão. É uma área de conhecimento que tanto faz parte da Agronomia como da Veterinária” (Canal Rural, 22/10/2015)… minha sugestão é seja feita uma migração de zootecnistas para as áreas das quais ela faz parte.
    Por exemplo1: Joãozinho zootecnista trabalha na área de conhecimento que faz parte da Agronomia (forragens). Então dar-se-ia ao Joãozinho um curso para adaptar seu currículo à sua área de atuação. O registro do Joãozinho, o ex-Zootecnista, passaria a ser no CREA e não CRMV e ele seria Engenheiro Agrônomo.

    Exemplo 2: Manezinho, outro zootecnista, trabalha na área de conhecimento que faz parte da Veterinária (reprodução, nutrição animal). Então dar-se-ia ao Manezinho um curso para adaptar seu currículo à sua área de atuação. O registro do Joãozinho, o ex-Zootecnista, passaria a ser no CRMV (sem o “Z”) e ele seria Médico Veterinário.

    O que não pode é ficar nesse impasse, ora se cria um conselho separado, ora não se cria…

    Particularmente sou contra a criação de um conselho independente de Zootecnia. Isso demanda recursos de toda ordem, e hoje, o que mais temos é falta de recursos. Mas… se essa demanda é da maioria, então que se faça a independência!

    Mario Sergio Malheiros
    CRMV 0682-Z

  5. Roger Clark 2 anos atrás

    Absurdo esse comentário. O que importa é a capacidade e a diversidade de profissionais para o agronegócio.

  6. Foto de perfil de Safira Bispo
    Safira Bispo 2 anos atrás

    A Coordenação do Curso de Zootecnia do CCA/Areia, apóia esta ação da ABZ e todas que forem necessárias para que o Presidente do CFMV no mínimo se retrate pelas palavras malditas a todos os profissionais Zootecnistas deste País.

  7. Antonio travassos 2 anos atrás

    Eu já não aguento esse ditador o senhor Benedito Arruda pois, para mim nada me representa. Eu já construí minha história ligada a Zootecnia e não tenho medo das arbitrariedades cometidas por esse sujeito e acobertadas pelo presidente do TCU que também é médico veterinário e lembrar aos colegas que a veterinária não faz parte das ciências agrárias ela é da área de saúde. Só faz parte das ciências agrárias a agronomia e a Zootecnia. Parabéns Dra. Célia.

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2017 Associação Brasileira de Zootecnistas
Desenvolvido por Agrobase
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account