Pastagens ralas, com espaços descobertos, muitos cupinzeiros e plantas invasoras. Esta é, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), uma dificuldade recorrente que criadores brasileiros têm enfrentado na pecuária. Pensando na recuperação destes casos, a instituição desenvolveu um vídeo onde mostra algumas das alternativas para reverter este problema.

De acordo com informações do Dia de Campo na TV, jornal da Embrapa que divulga pesquisas da instituição e de parceiros, atualmente, mais de 90 milhões de pastos cultivados no país estão improdutivos por conta da degradação. Roberto Giolo, pesquisador da Embrapa Gado de Corte, explica que entre os principais motivos para a degradação está o manejo inadequado e o descuido com a pastagem.

“A melhor estratégia para se evitar uma degradação é realizar um manejo adequado dessa pastagem. No manejo está a observância da altura do pastejo adequado para cada cultivar utilizado e, nesse caso, proceder as adubações anuais ou bianuais para reposição dos nutrientes”.

Ainda de acordo com Giolo, uma das alternativas que vem se mostrando útil para reverter o problema nas pastagens degradadas é o sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), que promove a recuperação de áreas de pastagens degradadas. Um dos benefícios, segundo Giolo, é que ele agrega na mesma propriedade diferentes sistemas produtivos, como os de grãos, fibras, carne, leite e agroenergia.

“Das principais vantagens desse sistema está o fato de que, para recuperação da pastagem com a lavoura, é necessário a correção do solo, com condicionamento, para o plantio da lavoura. E após a lavoura, com a venda dos produtos derivados dela, essa receita permite pagar, integralmente ou parcialmente, a recuperação. Ou seja, depois da lavoura, vem a pastagem, em uma condição bem adequada porque ela utiliza adubação residual da própria lavoura”.

Para conferir outras alternativas para recuperação de pastagem, assista ao vídeo da Embrapa abaixo:

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?