Este 13 de maio, além do Dia Nacional dos Zootecnistas, é marcado, também, pela celebração dos 50 anos da primeira colação de grau em Zootecnia do Brasil, que ocorreu na PUC Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, em 1969. Um dos formados, na época, foi Pedro Adair Fagundes dos Santos, considerado o primeiro zootecnista do Brasil. Quem explica o motivo é o filho de Pedro, o também zootecnista André Pereira dos Santos.

“Para assumir um cargo público na Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul como Zootecnista, ele teve que ir ao Ministério da Educação, no Rio de Janeiro, na época para registrar o diploma. Foi aberto o Livro número 1, na página número 1, e ele foi registrado como número 001”, conta.

(Foto: arquivo pessoal/André Pereira dos Santos)

A partir da formatura, o primeiro zootecnista do Brasil começou uma trajetória de sucesso: além da Secretaria de Agricultura do RS, trabalhou na Estação Experimental de Uruguaiana, em meados de 1970. Em 1971, foi transferido para Tupanciretã, onde nasceu seu filho André.

“Lembro-me da criação de coelhos da Estação Experimental desta cidade onde me levava para visitar. Em 1974 foi para Carazinho, onde incentivou as primeiras feiras de terneiros do RS, talvez do Brasil. Ajudou a idealizar o Parque de Exposição, incentivou a criação de cavalos crioulos na região, incentivou na inseminação artificial de bovinos também na década de 70, mantendo mais de 20 botijões de sêmen no Sindicato Rural de Carazinho”, relembra André.

Depois de somar experiências, também como técnico de Charolês e trabalhos com diversas raças bovinas – além de atuar como jurado de mais 300 exposições de animais –, Pedro voltou para Uruguaiana, berço da Zootecnia e também sua cidade natal. Lá, ele começou trabalhar como técnico da raça Angus e Brangus, onde atendeu diversos produtores do Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás.

“No ano de 1999, se não me engano, ele organizou a primeira Nacional da Raça Brangus, em Bauru, e também a primeira Nacional do Angus em Avaré. Em consequência disto, morou em Botucatu (SP) e Paraguaçu Paulista (SP) onde difundiu ambas as raças nos estados acima já citados e também no MT, MG e RJ”, lembra o filho.

Tempos depois, Pedro foi para Santa Maria, onde também incentivou a criação de Angus e Brangus na região central do Rio Grande do Sul.

Atualmente, seu Pedro vive no interior do Rio Grande do Sul (Foto: arquivo pessoal/André Pereira dos Santos)

“A visão de campo e a imensa prática em melhoramento genético bovino faz do meu pai um visionário, pois inúmeros grandes campeonatos foram conquistados pela consultoria imparcial e amiga. Meu pai se tornava amigo dos inúmeros criadores de bovinos de ambas as raças. Acredito que meu pai tenha aberto mais de 100 criatórios de ambas as raças nos estados já citados e posteriormente em Santa Catarina”, explica o filho.

Pedro, nosso primeiro zootecnista, mora atualmente em Santo Antônio da Patrulha (RS). Lá, ele tem um sitio onde cria seus cavalos crioulos, segmento onde também foi visionário nas pelagens manchadas. Além de André, que contou a história do pai para a ABZ, Pedro teve outra filha zootecnista: Angélica Pereira dos Santos Pinho, atual vice-presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS.

Seu Pedro, ao centro, junto da filha e filho zootecnistas (Foto: arquivo pessoal/André Pereira dos Santos)

“Acredito que meu pai seja um dos maiores extensionistas rurais do Brasil ainda em atividade. Lenda viva da Zootecnia. Tenho muito orgulho de ter participado ao seu lado desta história de amor ao trabalho na Zootecnia. Tem muito mais realizações dele, daria um livro”.

5 Comentários
  1. Renato Pinto Paiva 7 meses atrás

    Parabéns André
    Teu pai é um grande extecionista
    Foi um desbravador do Brasil Central
    Um exemplo de zootenista
    Merece ser o número 1

  2. Erick da Silva Fagundes 7 meses atrás

    Também sou zootecnista e sinto-me honrado em carregar o mesmo sobrenome de um senhor visionário e que foi muito importante para a nossa classe.

  3. Ione 7 meses atrás

    Parabéns para esse Zootecnista Nº 1 …Parabéns família de Zootecnistas..Que orgulho para o Pai como para os filhos.Muito contente em conhecê-los.

  4. Fernando Ferolla 7 meses atrás

    É um grande prazer conhecer a história do meu colega número 1

  5. Fábio Erthal 7 meses atrás

    Muito legal dessa história ter sido registrada! Parabéns ao Pedro Adair Fagundes dos Santos, considerado o primeiro zootecnista do Brasil e ao seu filho André Pereira dos Santos pela continuidade de seu legado!!!

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2020 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?