A depressão é uma doença silenciosa e grave, que atinge milhares de pessoas no mundo todo. Inclusive no meio universitário. Em 2011, um relatório do Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis divulgou que 47% dos estudantes tinham alguma queixa de sofrimento psíquico. Outro número alarmante é o do suicídio, que cresceu 24% entre jovens e adolescentes brasileiros no período entre 2006 e 2015, segundo uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Mas enquanto falar sobre o assunto ainda é um tabu para muitos, um acadêmico de Zootecnia resolveu ir na contramão disso e publicou um vídeo no Instagram onde alerta a comunidade universitária sobre os riscos da depressão e a importância de se buscar ajuda.

“Eu decidi fazer o vídeo pra fortalecer as pessoas que sofrem de depressão e conscientizar quem acha que isso é besteira. Eu não quero, jamais, que ninguém sinta na pele o que eu já senti e sinto, pois é muito difícil lutar contra os seus próprios sentimentos”, conta Daniel Lima, estudante da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Unidade de Serra Talhada.

De acordo com Daniel, diversos acontecimento durante a sua vida desencadearam a depressão, como bullying que sofria na escola durante a infância. O que começou como uma chateação diária cresceu e, só através de ajuda profissional, Daniel conseguiu reconhecer a sua condição para mudar de vida.

“Em 2014 eu procurei ajuda e comecei a me reerguer, me fortalecer. Hoje eu consigo enxergar a vida de uma forma mais madura e tenho a necessidade de tentar impedir que pessoas venham a passar pelos mesmos problemas que passei”, explica, lembrando que a depressão se torna cada vez mais frequente entre estudantes de modo geral.

“Os estudantes pedem socorro e ninguém escuta, ninguém estende a mão. A universidade é um ambiente de muita pressão, pois ao passo que se conquista algumas coisas, as obrigações e cobranças aumentam de forma progressivamente rápida”.

Na opinião de Daniel, muitos jovens já chegam a universidade com depressão ou ansiedade, e frente ao ambiente de maior pressão, a tendência é que isso se intensifique.

“A depressão influencia diretamente no desempenho acadêmico e os professores precisam estar cientes disso. Muitas vezes o acadêmico falta aula pois está completamente deprimido e desanimado, sem conseguir ir a universidade, fazendo com que posteriormente abandone o curso. Por isso, os professores e acadêmicos precisam dialogar mais sobre o assunto, promover palestras com a comunidade para tentar ajudar os discentes”.

Assista abaixo o vídeo de Daniel no Instagram

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Antonio Daniel Lima (@danielslimas) em

PRECISA CONVERSAR?

O Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias. Conheça neste link. E para fazer uma ligação anônima, disque 188.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?