Uma fita de predição de peso com características inovadoras e desenvolvida por zootecnistas do campus Rio Pomba do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) se classificou na Hog Pen, competição desenvolvida pela Academia Suína, referência nacional em cursos da área de Suinocultura. O material chamou a atenção da avaliação por possuir diferenciais marcantes frente aos produtos disponíveis no mercado atualmente.

Professor-doutor Sérgio Pena, coordenador do projeto (Foto: arquivo pessoal)

De acordo com informações do campus, a tecnologia é fruto de trabalhos de conclusão de curso de graduação e do mestrado em Nutrição e Produção Animal da instituição. A patente “Instrumento de pesagem de suínos híbridos comerciais e da raça Piau” é coordenada pelo zootecnista, professor-doutor Sérgio de Miranda Pena, e desenvolvida em conjunto pelas zootecnistas Marisa Senra Condé, Jemima Cássia de Oliveira, Fabiola Grasiele de Oliveira Alexandre. Também integra o time de desenvolvimento a professora-doutora Cristina Henriques Nogueira (matemática e estatística).

Da esquerda para direita: Fabíola, Jemima, Marisa e Cristina

Entre as características da fita está a possibilidade de predição de peso de um corte nobre no suíno, o pernil. Assim, um produtor de suínos, funcionários de frigoríficos ou açougueiros poderão estimar o peso desse corte sem a necessidade de abater os animais. Outro ponto é que a predição pode ser aplicada para uma raça nacional, o Piau.

“A fita tem três propósitos: predizer o peso corporal vivo e do pernil de suínos de alto potencial genético, híbridos comerciais e o peso corporal vivo para a raça piau, para atender produtores de uma raça nacional”, explicou Sérgio. A fita, inclusive, tem ampla abrangência: serve para animais de 4,8 a 122 quilos.

A patente do produto foi registrada e depositada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) em novembro de 2020.

IMPORTÂNCIA

De acordo com o professor Sérgio, a determinação do peso corporal é importante para avaliar o crescimento, o estado nutricional, a necessidade de aplicação de medicamentos, além de possibilitar o estabelecimento do valor do animal para abate e para o ajuste de dietas.

“Nem sempre o produtor tem uma balança disponível, tanto pelo alto custo, quanto pela falta de mobilidade do equipamento, assim, as medidas corporais constituem uma alternativa viável, pois através delas é possível prever o peso”, explicou.

Hoje, a tecnologia ainda não está no mercado, mas em breve estará disponível. Segundo o coordenador, já há empresas interessadas em comercializar o produto.

A COMPETIÇÃO

O trabalho será apresentado ao vivo na próxima fase classificatória, em 5 de agosto, no canal da Academia Suína. Para acompanhar, clique aqui.

1 Comentário
  1. Владислав 3 meses atrás

    Objetivo do estudo conduzido na APTA Regional de Colina e que as femeas estejam prontas para emprenhar em 14-15 meses, quando o normal no Brasil e 24 meses Pesquisadores da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de Sao Paulo desenvolvem estudo cientifico para criacao de um sistema que permita a producao de novilhas precoces, ou seja, que consigam emprenhar com ate 14-15 meses, quando o normal no Brasil e aos 24 meses. As vantagens sao a reducao do tempo para prenhez das femeas e, consequentemente, maiores lucros aos produtores de gado de corte do Brasil, mantendo todas as praticas preconizadas de bem-estar animal. A tecnologia desenvolvida pela APTA Regional de Colina sera entregue ao setor produtivo neste 27 de maio, as 30, em live a ser realizada no Youtube da Secretaria de Agricultura. Outras duas lives estao programadas sobre esse assunto para que as informacoes sejam transferidas aos pecuaristas.

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2021 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?