Zootecnista fala sobre auxílio de suplementação no controle de micotoxinas

Um estudo conduzido pela zootecnista e doutoranda Letícia Custódio, através da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) em parceria com a Alltech do Brasil, apontou que bovinos de corte confinados que ingerem micotoxinas têm sua saúde e desempenho afetados. As informações são da assessoria da Alltech.

O estudo foi motivado pela exigência maior de inclusão de grãos e farelos na alimentação de animais em períodos de pastagens escassas e de baixa qualidade, mais comuns no inverno e no período de seca. A partir desse tema, a pesquisa comparou o impacto de substâncias tóxicas nos animais com e sem a utilização de adsorventes naturais. O resultado mostrou que os bovinos que consumiram rações contaminadas com micotoxinas e com a adição de adsorvente ganharam 121g de peso médio diário ajustado a mais do que os animais que consumiram as rações sem o suplemento.

Segundo Letícia, atualmente alguns aspectos importantes estão em discussão a nível mundial, entre eles a utilização de produtos naturais para a produção de gado.

“Acredito ser extremamente importante estudos de produtos que levam em consideração a saúde dos animais, principalmente quando esse refletirá na saúde humana e ao mesmo tempo, focando no retorno econômico para o setor agropecuário. Assim, conseguimos produzir mais e com um nível mais elevado de qualidade, que é o que o mercado está exigindo”.

O zootecnista e gerente de vendas da Alltech para gado de corte, Carlos Zilioti, explica que dificilmente serão eliminadas 100% das micotoxinas, uma vez que são conhecidos mais de 500 tipos da substância.

“Alguns fungos podem se desenvolver nos grãos e forragens na lavoura ou durante o armazenamento, e isso não é um problema. O problema é quando você estressa esse fungo e ele libera a micotoxina, e esta sim causa uma série de problemas ao gado”.

O especialista ressalta ainda a importância da introdução de um adsorvente de amplo espectro de atuação na dieta.

“O adsorvente funciona como uma esponja, pois tem uma composição que atrai as micotoxinas, as quais são excretada sem ser absorvida pelo organismo do animal, como faz o Mycosorb A+, da Alltech”.

Segundo Zilioti, a detecção e gerenciamento das micotoxinas deve estar aliada à melhoria do processo de armazenamento e conservação dos grãos e forragens, o que contribui na redução do impacto da contaminação por micotoxinas na produção animal.

 

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2017 Associação Brasileira de Zootecnistas
Desenvolvido por Agrobase
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account