Uma técnica que vem sendo utilizada no Espírito Santo está fortalecendo o setor leiteiro do Estado. Trata-se da compost barn (celeiro de compostagem, em português), sistema que traz conforto para os animais, mesmo que eles estejam em confinamento, e que se aplicado corretamente, aumenta a produtividade e a qualidade do leite. As informações são do portal Gazeta Online.

“Esse modelo foi criado nos Estados Unidos, como uma alternativa ao confinamento individual. É interessante para quem não tem pasto”, explicou o zootecnista e professor de bovinocultura de leite no Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Gercílio Alves de Almeida Júnior.

Para aplicação do compost barn, é necessário um manejo adequado do local. Segundo Gercílio, é importante também que o produtor não veja o modelo como um substituto da pastagem, mas sim como um auxílio para os períodos de seca ou de inverno, por causa da falta de alimento no pasto.

De acordo com o zootecnista e extensionista do Instituto Capixaba de Pesquisa Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Bernardo Lima Bento de Mello, em mais da metade das propriedades com gado do Estado falta alimento para o gado em pelo menos um dia do ano porque há uma escassez no pasto

“A pecuária leiteira capixaba produz uma média de 500 mil toneladas de leite por ano. Já a pecuária de corte do Estado produz anualmente 87 mil toneladas de carne. Mas se o alimento para o gado não faltar, a produção de leite pode aumentar”.

Um dos principais alimentos do gado confinado é o milho, que representa mais de 50% da mistura necessária para os animais. Porém, o Estado não tem vocação para a produção desse grão em escala, aponta o zootecnista. Por isso, o custo dos produtos de origem animal aumenta com a técnica do confinamento do gado. Por outro lado, uma vantagem desse tipo de criação é a redução do passivo ambiental do esterco gerado pelos animais. Ao invés de cair no leito do rio e provocar contaminação, por exemplo, pode ser usado como adubo pela agricultura.

O MODELO

Utilização

O compost barn consiste em um grande espaço físico coberto para confinamento coletivo de

Estrutura

É preciso ter barracão com contenção do material da cama, maquinário para revolver a cama duas vezes por dia, bebedouro, corredor de trânsito dos animais, coxo de alimentação e ventilação para forçar a saída de odores e calor.

Recomendação

A técnica é recomendada para gado de alto desempenho e de raças europeias. Mesmo assim, segundo especialistas, o sistema não substitui a pastagem. Manejo Com um manejo adequado, a “cama” dos animais mantém sua regularidade. Caso seja feito de maneira inadequada, poderá ter como consequências: animais sujos e possibilidade de mastite clínica, por exemplo. Umidade O barracão com a contenção do material da cama precisa ser revolvo duas vezes ao dia com maquinário para que não acumule umidade e apodreça.

Temperatura

No ambiente, a ventilação é controlada e a temperatura também é mais amena para o gado.

Espaço amplo

O local de instalação deve possuir boa ventilação e luz natural, drenagem de água em dias chuvosos e amplo espaço para evitar superlotação. Mas também pode ser colocada tubulação de ventilação.

2 Comentários
  1. Géa 9 meses atrás

    Qual o tipo de alimentação a servir pro gado confinado?!

  2. Géa 9 meses atrás

    Qual o tipo de alimentação a servir pro gado confinado?!
    Pode ser Silagem de milho?!

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2018 Associação Brasileira de Zootecnistas
ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?