(Foto: Divulgação)

Os zootecnistas José de Ribamar Felipe Marques, Guilherme Minssen e José Otávio Lemos estiveram em importante missão pela bubalinocultura na Índia, país considerado o berço mundial do setor. A viagem ocorreu em janeiro e os profissionais foram acompanhados, também, pelo veterinário Tarcísio Mesquita.

De acordo com Guilherme Minssen, diretor da Associação Brasileira de Zootecnistas (ABZ) e da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), o objetivo da missão foi finalizar o alinhamento entre o Brasil e produtores indianos. É que, nos próximos meses, o Estado do Pará receberá duas mil doses de sêmen de búfalos das raças Murrah e Niili Ravi para a melhoria da qualidade genética dos rebanhos.

“Essa foi uma das vitórias do Programa de Melhoramento Genético de Búfalos com Inovação para o Estado do Pará (Promebull), liderado pela Embrapa Amazônia Oriental. Este projeto irá influenciar no manejo e melhoramento da pecuária bubalina leiteira familiar do estado do Pará”.

Animais que terão sêmen enviado ao Brasil estão no Central Institute for Research on Buffaloes, em Haryana (Foto: Divulgação)

O zootecnista pesquisador da Embrapa, Ribamar Marques, líder da missão, explicou que a Índia é berço da bubalinocultura mundial e local de origem da espécie. Ele afirmou que a parceria entre os países vai promover não apenas um salto de qualidade genética aos rebanhos paraenses, mas também o intercâmbio de tecnologias para o benefício de toda a cadeia.

“As melhores fêmeas selecionadas entre os criadores parceiros do Promebull no Estado serão inseminadas com sêmen de machos superiores vindos da Índia, para gerar filhotes mais produtivos em carne e leite. E os melhores novilhos e novilhas gerados nessa parceria, serão monitorados e também futuros doadores de material genético, garantindo a melhoramento constante dos rebanhos e sustentabilidade”, enfatizou o pesquisador.

Um dos destaques do projeto e que garantiu o aceite dos indianos foi o caráter social e de democratização do Promebull no Marajó, uma das mesorregiões que concentram os menores índices de desenvolvimento no país, pois é voltado à pecuária leiteira familiar, chegando desde o pequeno produtor, com poucos animais, até os médios e grandes.

“O que determina a parceria é a qualidade da fêmea a ser inseminada e já temos experiências exitosas com produtores em que os rebanhos não chegam a 20 cabeças”, comentou Marques.

O PROGRAMA

O Programa de Melhoramento Genético de Búfalos com Inovação para o Estado do Pará (Promebull) é realizado pela Embrapa Amazônia Oriental em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), e Secretaria de Estado do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) tendo como meta a melhoria de índices econômicos de emprego e a renda para a pecuária bubalina leiteira para a agricultura familiar, por meio do melhoramento genético de boas práticas de manejo, alimentação e sanidade. O projeto foi iniciado pela Embrapa em 2015 e em abril de 2018 passou a ser programa de governo após convenio firmado com a Sedap. Desta forma, as ações que eram exclusivas do Marajó, passarão a abranger também as demais regiões do Pará e no futuro do Brasil.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?