Indicador de custo desenvolvido por zootecnista auxilia produtor de gado em confinamento

A partir deste mês, o Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP, em Pirassununga, está disponibilizando aos pecuaristas um indicador de custos de produção exclusivo para bovinos de corte em confinamento. O modelo foi desenvolvido pelo zootecnista Gustavo Lineu Sartorello, que criou o indicador de custo e o modelo de cálculo em sua dissertação de mestrado. A pesquisa foi apresentada em agosto de 2016 sob a orientação do professor Augusto Hauber Gameiro. As informações são do Jornal da USP.

De acordo com o zootecnista, o objetivo do indicador é obter a variação porcentual dos custos mensais para produzir uma arroba de boi gordo. Os pesquisadores pretendem divulgar o índice mensalmente. A edição atual está disponível neste link.

“Atualmente, não existe indicador de custos de produção para gado de corte confinado. Os indicadores existentes levam em conta apenas os dados relativos à criação de bovinos em pastagens. Mas como os custos da produção em confinamento e em pasto são bastante distintos, isso interfere na informação final que chega ao produtor”, explica Sartorello.

Junto do orientador, o zootecnista também desenvolveu um modelo de planilha para auxiliar os pecuaristas no cálculo dos custos de produção de bovinos em confinamento. Os produtores poderão gerir melhor o negócio e, assim, identificar possíveis gargalos. E sabendo exatamente qual é o custo de produção, o produtor pode negociar o preço de venda de modo mais realista.

“Parece óbvio que todos devem conhecer os custos de produção, mas, em geral, isso é difícil de ser feito na prática”.

Os custos foram divididos nas categorias: custos variáveis (compra de animais, alimentação, etc.); custos semifixos (combustíveis, energia elétrica, etc.); custos fixos (mão de obra, depreciação, manutenção de máquinas e equipamentos, etc.); e renda dos fatores (custo de oportunidade com compra de animais, por exemplo). O produtor pode somar todos e assim obter o custo total, ou fazer uma combinação entre eles para saber outras informações, de acordo com os próprios interesses.

Para elaborar a planilha de cálculo o zootecnista se baseou em um produtor que abate cerca 30 mil animais por ano e que já trabalha com uma boa organização dos dados da própria produção, além de outros profissionais que trabalham na atividade.

Sartorello fez o levantamento de todos os itens ligados ao custo e testou na planilha. Após ajustes de equações matemáticas e conversas com o produtor, o zootecnista comparou os resultados obtidos com aqueles reais que o produtor já tinha, e os dados foram similares. A planilha para cálculo do custo de produção está na dissertação de mestrado de Sartorello, disponível no Banco de Teses da USP neste link.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2017 Associação Brasileira de Zootecnistas
Desenvolvido por Agrobase
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account