Na primeira edição de 2019 do quadro Prosa com Zootecnista, trazemos uma entrevista com Mário Manso. No início de janeiro, o zootecnista passou a responder pela chefia do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do Rio Grande do Norte (IDIARN).

Mário é formado em Zootecnia há sete anos, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e fala sobre a importância de zootecnistas em cargos de chefia de governo.

 

ABZ: Recentemente você foi empossado como novo gestor do IDIARN. Como você se sentiu ao ter essa oportunidade e o que você acha que poderá contribuir no cargo enquanto zootecnista?

Mário: Esse novo desafio me trouxe muita alegria e vejo como fruto da época em que iniciava as atividades na Zootecnia. Nós zootecnistas somos profissionais que desempenhamos um papel de grande importância no agronegócio, e com certeza buscarei realizar resultados com base nas técnicas que visem produtividade e sustentabilidade de forma a garantir produtos de qualidade.

 

ABZ: Qual é a sua principal meta nessa nova posição de chefia? Algum trabalho em específico que pretende desenvolver?

Mário: Temos como meta principalmente uma gestão transparente, dialogando com os setores de produção vegetal e animal, desenvolvendo soluções que visem o crescimento seguro da produtividade no nosso estado.

A expansão da área livre da Mosca-das-frutas está em um dos nossos principais projetos, pois ao expandir a fronteira agrícola da fruticultura no RN, conseguiremos abrir novos mercados para exportação. Para isso o projeto será apresentado junto ao Ministério da Agricultura afim de reconhecermos oficialmente essa ampliação.

 

ABZ: Como você avalia a importância de zootecnistas estarem à frente de cargos públicos em entidades ou órgãos ligados, principalmente, ao meio agro?

Mário: Participamos de perto da evolução dos números da produtividade, temos uma visão técnica mas também temos atuação nos comércios e buscamos sempre viabilizar o negócio do produtor. Acredito que essa preparação nos permite entender de forma mais ampla os sistemas de produção, contribuindo para melhoria dos produtos gerados, sem perder de vista o respeito ao bem-estar animal e ao meio ambiente.

 

ABZ: Como veio o convite para você assumir a chefia do IDIARN?

Mário: O governo tem montado um quadro técnico para administração do estado, e junto a Associação Norte-Rio Grandense dos Criadores disponibilizei meu nome o qual foi apresentado e aprovado pela governadora.

 

ABZ: Que conselho você daria para acadêmicos e zootecnistas que almejam chegar a uma posição de gestão em um órgão como o IDIARN?

Mário: Que tenham compromisso e responsabilidade com a profissão, busquem sempre um comportamento ético onde quer que estejam, participem das atividades com dedicação e empenho!  E nunca desistam de realizar os seus objetivos!

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?