A Associação Brasileira de Zootecnistas (ABZ) disponibiliza nesta quarta-feira (1º) o relatório de atividades da gestão 2017-2021, que teve como foco aproximar a entidade de instituições e população em geral, ao mesmo tempo que trabalhava para defender os interesses dos zootecnistas, promoção do desenvolvimento do ensino, competência profissional e articulações políticas. Ao todo, 38 zootecnistas voluntários, de diversas partes do país, integraram os trabalhos da ABZ através de órgãos internos da entidade.

De acordo com Marinaldo Divino Ribeiro, presidente da ABZ, o desempenho do trabalho nos últimos quatro anos cumpriu o que o grupo de conselheiros e diretores se dispôs a executar à frente da associação neste período, principalmente no que diz respeito à luta pelos direitos dos zootecnistas com o apoio dos associados da entidade.

“Chegamos ao final de mais uma gestão da ABZ com o sentimento de que deixamos o terreno pronto para intensificar ações de controle e combate da associação. Foram várias as frentes de trabalho, indo da primeira ponta, que é o ensino, até o outro lado, no campo de atuação dos zootecnistas”.

Entre as ações mais recentes pela Zootecnia, esteve a investida da ABZ para correção urgente da Lei 5.550/68, propondo através do senador Zequinha Marinho o Projeto de Lei 1428/2021. O objetivo era adequar uma anomalia na legislação vigente, sem prejudicar o direito de outras categorias profissionais a exercerem determinadas atividades relacionadas à criação de animais. O PL teve repercussão nacional e, devido a resistência de setores correlatos, foi retirado de tramitação para readequação. Porém, na visão de Marinaldo, mesmo com a retirada, o saldo da Zootecnia não fica negativo.

“Nós sabíamos que haveria resistência e, de fato, houve. Tanto que tivemos que recuar com o PL. Mas isso não foi uma derrota. Nos abriu a possibilidade de argumentação e poder, também, de diálogo. Estamos avançando com o CFMV neste debate e esperamos ter resultados em breve, enquanto não viabilizamos o nosso próprio Sistema de Conselhos junto ao Governo Federal”.

ARTICULAÇÃO

Nesta gestão, a ABZ formalizou a contratação de sua assessoria jurídica permanente para defesa de questões coletivas da categoria.

Foi nesta gestão, também, que houve a expansão da associação para todo o país, com a formalização das diretorias estaduais. As diretorias trabalharam no monitoramento de zootecnistas nos Estados e acompanharam, em paralelo, as suas necessidades e se estavam tendo direitos cerceados. A associação também reconheceu anualmente, através de seus prêmios institucionais, a contribuição de mais de 30 zootecnistas que desempenharam trabalhos de destaque no país.

“As diretorias recebiam e encaminhavam, inclusive, denúncias de zootecnistas que percebiam problemas em editais de concursos, uma questão recorrente para nós. Sempre que recebemos uma notificação avisando que um concurso com área de trabalho para zootecnistas não permitia a nossa inscrição, nós notificamos os responsáveis pedindo a alteração”.

A articulação da associação também esteve presente junto da Federação dos Estudantes de Zootecnia do Brasil (FEZB) e ABZ Jovem, que em parceria com o Fórum Nacional de Entidades de Zootecnistas e Fórum Nacional de Coordenadores de Ensino de Zootecnia, contribuíram com a validação de deliberações da associação. A congregação de estudantes, através da realização de eventos online, produtos comunicacionais e a primeira edição do Zootec Online, também se somam a este interim.

“Mais recentemente, por conta da pandemia, realizamos um esforço coletivo para conseguirmos tirar do papel o Zootec Online, que já era desejo nosso e que, pelas condições impostas, o aceleramos. Incluímos de vez um produto ABZ, que é o Zootec, no mundo contemporâneo. E a partir dessa experiência, vamos canalizar energia também na produção de mais eventos online, já que os encontros híbridos claramente vieram para ficar”.

Foi nesta gestão, ainda, que a ABZ intensificou as articulações políticas junto a parlamentares, no Senado e Câmara dos Deputados, para a construção de um novo texto para criação do tão sonhado Sistema de Conselhos Federal e Regionais de Zootecnia. Ao mesmo tempo que a demanda é o maior sonho da categoria, é também o mais difícil ser conquistado frente ao Governo.

“Uma das nossas conquistas foi a Casa do Zootecnista, fruto, justamente, da nossa articulação política. Foram anos lutando para termos um local só nosso, um lar para congregar os profissionais do país. E agora, finalmente, formalizamos essa conquista em Brasília”.

Para conferir o relatório com todas as ações da gestão 2017-2021, clique aqui.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2021 Associação Brasileira de Zootecnistas

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?